Pubvet
5 artigos mais acessados em outubro 5 artigos mais acessados em outubro
A Pubvet elaborou uma lista com os cinco artigos mais lidos no mês de outubro! Agradecemos a comunidade de pesquisadores e profissionais atuantes que... 5 artigos mais acessados em outubro

A Pubvet elaborou uma lista com os cinco artigos mais lidos no mês de outubro!

Agradecemos a comunidade de pesquisadores e profissionais atuantes que fazem da nossa revista uma referência para as áreas de Medicina Veterinária e Zootecnia.

Fique à vontade e acesse os itens abaixo. Boa leitura ?

Dica: clique nas palavras-chave e confira outros artigos da Pubvet relacionados ao mesmo tema. 


Tripanossomose bovina: Revisão

controlediagnósticosinais clínicostrypanosoma vivax

“A tripanossomose bovina é uma doença de ocorrência global, o agente etiológico de maior relevância para bovinos é o Trypanosoma vivax. Foi registrada pela primeira vez no Brasil, em 1972, e recentemente, tem sido reportada em todo país através de surtos, acometendo tanto bovinos leiteiros quanto bovinos de corte, causando grandes prejuízos aos pecuaristas. Por se tratar de uma doença que por muito tempo vinha sendo negligenciada, essa enfermidade se tornou um grave problema. O objetivo do estudo é fazer uma revisão abordando os aspectos clínicos e patológicos bem como os fatores de risco, as técnicas de diagnóstico, tratamento e controle da doença gerando informações pertinentes para acadêmicos, profissionais e produtores rurais.”

Autores: Pedro Henrique Vieira Germano, Alex André Silva, Gertrud Elisa Campos Edler, Marcelo Coelho Lopes, Talita Cristina Modesto, Junior Artur dos Reis


Produtividade de mandioca avaliada sobre adubação fosfatada e a adubação de cobertura

Adubação de plantioIAC 12Manihot esculenta

“A mandioca é uma das mais promissoras culturas, na agricultura familiar, contribuindo no desenvolvimento social e econômico do Brasil. Apesar disso, tradicionalmente a cultura é conduzida com baixo investimento financeiro, geralmente, não havendo aplicação de corretivos e fertilizantes em doses adequadas. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de diferentes doses de adubação fosfatada e a adubação de cobertura na produtividade da mandioca (IAC 12). O experimento foi desenvolvido em parcela subdividida com 3 repetições. Avaliaram-se quatro doses de fósforo (0; 40; 80; 160kg de P2O5/ha) e a adubação de cobertura (0 e 250kg/ha de 20-00-20). A colheita foi realizada 10 meses após o plantio e foi determinada a produtividade (kg/planta). Foi realizada análise de variância e teste de Scott-Knott para comparação de médias. Verificou-se que houve resposta crescente à adubação fosfatada; a produtividade foi maior para a dose de 160kg de P2O5/ha, que é o dobro da dose máxima recomendada pela CFSEMG, demostrando que embora rústica, a planta é responsiva a adubação fosfatada. Com relação à adubação de cobertura, não houve diferença significativa entre os tratamentos. Concluísse que a cultivar de mandioca IAC 12 é responsiva a fósforo, havendo necessidade de estudos com maiores doses.”

Autores: Alandionys Gonçalves de Lima, Lucas Roberto de Carvalho, Marília Constantino Mota, Antônio Florentino de Lima Junior, Juracy Mendes Moreira, Arinaldo Pereira da Silva, Roberto Barbuio, Juliano Queiroz Santana Rosa


Inseminação artificial em tempo fixo

IATFtaxa de prenhezestrobovinos

“A inseminação artificial em tempo fixo (IATF) trata-se de uma biotecnologia reprodutiva que visa elevar a eficiência reprodutiva dos rebanhos por meio da indução e sincronização da ovulação das fêmeas através de protocolos hormonais. Assim, o objetivo deste trabalho foi fazer um levantamento bibliográfico sobre a IATF, sua origem, suas vantagens e limitações, tipos de protocolos e resultados. No Brasil, esta tecnologia começou a ser utilizada no início da década de 70, com a abertura das primeiras centrais de inseminação. Apresenta taxa de prenhez média que gira em torno de 50% a cada IATF, podendo atingir 60% e, em propriedades com ótimo manejo nutricional, sanitário e reprodutivo até 70%.As principais vantagens da IATF são a realização da inseminação com dia e hora marcados, a eliminação da detecção de cio, inseminação das matrizes a partir de 60 dias após o parto, indução da ciclicidade em vacas em anestro, redução do intervalo entre partos, possibilidade de altas taxas de prenhez no início da estação de monta, entre outras. A maior parte dos problemas que interferem nos resultados da IATF está relacionada ao momento e ao manejo da inseminação artificial, à aplicação dos hormônios utilizados nos protocolos em quantidade e momento exato e à qualidade técnica do responsável pelo programa. Para obter produção de bons bezerros, a escolha do sêmen é fundamental. Assim, pode-se concluir que a utilização da IATF de forma correta, por profissionais capacitados permite elevar a produção de carne e/ou leite da propriedade”.

Autores:Kleber da Cunha Peixoto Junior, Yessica Trigo


Adenocarcinoma nasal em cão: relato de caso

neoplasiacãocavidade nasal

“Estima-se que a incidência do câncer em cavidade nasal no cão seja de 1% de todos os cânceres e 80% dos tumores nasais são malignos. O tipo mais comum de câncer que afeta cavidade nasal em cães é o carcinoma, que inclui adenocarcinoma nasal. Há uma maior prevalência de neoplasias nasais em cães machos, principalmente raças dolicocéfalas e mesocéfalas assim como raças de grande porte. Os sinais clínicos do adenocarcinoma nasal são os mesmo das rinites infecciosas, incluindo corrimentos nasais catarrais ou mucopurolento, hemorragia periódica, lacrimejamento aumentado devido a obstrução dos ductos nasolacrimais e espirros, sendo muito importante o diagnóstico diferencial de rinite. Neoplasias grandes também interferem com o fluxo do ar causando respiração estertorosa. O presente trabalho relata um caso que foi encaminhado ao Hospital Veterinário da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Campus Toledo (PUC-PR), um cão da raça poodle, fêmea com cinco anos de idade, 3,6kg, com histórico de dispnéia inspiratória, respiração estertorosa e secreção nasal mucopurolenta. Foram realizados exames radiológicos e citológicos sendo compatível com diagnóstico de adenocarcinoma nasal”.

Autores:Alice Pontes Formighieri, Ana Claudia Cazarotto Cella, Maysa Franzói de Carvalho, Liege Georgia Andrioli, Andréa Christina Ferreira Meirelles


Artrite encefalite caprina

sanidadecaprinoculturaprodutividade

“A artrite encefalite caprina (CAE) é uma síndrome degenerativa progressiva lenta, multissistêmica, provocada pelo Retrovírus Tipo C da subfamília Lentivirinae, afetando os sistemas articular, mamário e nervoso, acarretando grandes prejuízos econômicos, pela morte ou descarte de animais, pela queda na produção, perda de peso, predisposição a infecções secundárias, e gastas com tratamentos e assistência de médicos veterinários. Os sinais clínicos mais frequentes são artrite, mastite e encefalites, apesar de muitos dos animais infectados permaneçam assintomáticos. A forma mais importante de transmissão é a transmissão vertical, por meio da ingestão de leite ou colostro infectado, contudo a transmissão horizontal também pode ocorrer. O controle da CAE consiste na tentativa de diminuir a infecção viral no rebanho. Tendo os cabritos separados das mães ao nascer, devendo ser alimentados com colostro pasteurizado. A CAE consta na lista de doenças de notificação obrigatória da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), ressaltando a importância da identificação da doença na região (OIE, 2011a)”.

Autores: Alexandre de Oliveira Bezerra, Renan Zappavigna Costa Starling, Igor Luiz Salardani Senhorello, Peter Gabriel Ferreira, Renata Côgo Clipes e Dirlei Molinari Donatele

Pubvet

Somos, há dez anos, uma editora especializada em publicações na área da Medicina Veterinária e Zootecnia. Nossa missão é estabelecer a comunicação entre o campo e a academia :)