Pubvet
5 artigos mais acessados em novembro 5 artigos mais acessados em novembro
A Pubvet elaborou uma lista com os cinco artigos mais lidos no mês de novembro! Aproveite para conhecer o que mais chama a atenção... 5 artigos mais acessados em novembro

A Pubvet elaborou uma lista com os cinco artigos mais lidos no mês de novembro! Aproveite para conhecer o que mais chama a atenção de nossos leitores.

Agradecemos a comunidade de pesquisadores e profissionais atuantes que fazem da nossa revista uma referência para as áreas de Medicina Veterinária e Zootecnia.


Piometra e hiperplasia vaginal em cadela: Relato de caso

ciclo-estral, estrogênio, ovariosalpingohisterectomia, infecção

“Na rotina médico-veterinária de cães e gatos há uma grande ocorrência de enfermidades que acometem o trato reprodutivo desses animais, acometendo em grande parte as fêmeas, podendo trazer conseqüências sérias como a infertilidade. Dentre as muitas patologias reprodutivas, citam-se com grande casuística a piometra (hiperplasia endometrial cística) e menos comumente a hiperplasia vaginal. A piomeira tende a ocorrer mais freqüentemente em cadelas de meia idade ou animais idosos. Já a hiperplasia vaginal, acomete cadelas jovens devido à ação de estrogênio. Objetivou se com o presente estudo, relatar o caso de uma cadela, envolvendo ambas patologias. O tratamento de escolha realizado foi uma ovariosalpingohistectomia (OSH) e a paciente recuperou-se bem. Conclui-se que emergências reprodutivas requerem um diagnóstico adequado e tratamento mais precoce possível para evitar maiores danos à saúde no animal. A OSH mostrou-se efetiva e curativa nestas patologias”.

Autores: Karina de Kássia da Silva Sales, Nhirneyla Marques Rodrigues, Andressa Kelly Barbosa Rufino, Pedro Márcio da Silva Luz


Apostila ilustrada de cirurgia veterinária

Apostila, Cirurgia, Medicina Veterinária

“Este material-didático é uma apostila ilustrada de cirurgia que tem a função de oferecer suporte de consulta ao aprendiz de Cirurgia Veterinária, abordando os tópicos: Instrumentalização Cirúrgica, Materiais de Sutura, Princípios Cirúrgicos Gerais, Incisões Cirúrgicas da Parede do Abdome e Suturas Usadas na Medicina Veterinária.”

Autores: Renata Resende Prado, Eliane Pereira Mendonça, Guilherme Paz Monteiro, Roberta Torres de Melo, Priscila Christen Nalevaiko, Daise Aparecida Rossi


Enterectomia no tratamento de carcinoide neuroendócrino obstrutivo em um cão: Relato de Caso

constipação, fecaloma, tumor, carcinoma

“Carcinoides em cães são neoplasias raras do sistema celular neuroendócrino difuso. O termo tumor neuroendócrino tem sido proposto e a manifestação clínica está relacionada com a localização das massas. Apesar da baixa velocidade de crescimento e de metastatização, tais neoplasias frequentemente são malignas e devem ser submetidas a ressecção cirúrgica. Quando esta é realizada adequadamente, o desfecho geralmente é satisfatório. Objetivou-se descrever um caso de carcinoide em cadela de dez anos apresentando tenesmo e presença de fecaloma. A paciente foi recebida em uma clínica veterinária particular e, após consulta clínica e exames de imagem, foi submetida à enterotomia para a remoção do fecaloma localizado em cólon descendente. A obstrução do fluxo intestinal decorreu de massa neoplásica em região pré-púbica, a qual também foi resseccionada e encaminhada a para análise. O histopatológico revelou carcinoide neuroendócrino e a cadela foi acompanhada por 60 dias de após o procedimento, sem sinais de recidiva ou metástases. Diante disso, entende-se que carcinoides neuroendócrinos devem ser considerados como causa de tenesmo e constipação em cães, especialmente nos idosos, e o prognóstico pode ser favorável quando os pacientes livres de metástases são submetidos ao procedimento cirúrgico com ressecção adequada do tumor”.

Autores: Patrícia Silva Vives, Marina Zanin, Francisco de Assis Araújo Camelo Júnior, Liliane Cristina Dias Jerônimo, Tainá Ança Evaristo, Márcia Kutscher Ripoll, Stella Falkenberg Rausch, Michele Berselli, Cristina Gevehr Fernandes, Fabrício de Vargas Arigony Braga


Colecistite supurativa crônica associada a obstrução de ducto biliar comum em felino: Relato de caso

coledocoduodenostomia, gatos , hiperproteinemia, icterícia, parênquima hepático

“O objetivo deste trabalho foi relatar um caso de obstrução de ducto biliar comum decorrente de colecistite crônica em um felino fêmea, sem raça definida, com quatro anos de idade. A colecistite caracteriza-se por uma inflamação do trato biliar que, em alguns gatos, pode também estender-se ao parênquima hepático, sendo uma das principais causas de obstrução do ducto biliar. Outras causas comuns de obstrução das vias biliares estão relacionadas com pancreatites e colangites. Os sinais clínicos são inespecíficos e sua manifestação depende do tempo e da intensidade da obstrução (total ou parcial), normalmente apresentam icterícia, anorexia, vômito, diarreia e perda de peso. O diagnóstico definitivo costuma ser realizado por meio do exame ultrassonográfico, que revela dilatação do trato biliar e da vesícula biliar. Também é esperado aumento na atividade das enzimas hepatobiliares, bilirrubina, fosfatase alcalina, gama-glutamil transferase e colesterol em função da colestase. Como tratamento preconiza-se nos casos de obstrução parcial o tratamento clínico e nos casos de obstrução total ou na ausência de melhora com o tratamento clínico a coledocoduodenostomia e o prognóstico depende da causa e grau da obstrução. Quando necessária a intervenção cirúrgica o prognóstico se torna desfavorável, principalmente pela debilidade do paciente e risco de desenvolvimento de peritonite no pós operatório”.

Autores: Gisandra de Fátima Stangherlin, Veridiane da Rosa Gomes, Aparício Mendes de Quadros, Carla Reis, Heloísa Helena de Alcântara Barcellos, Marco Augusto Machado Silva, Bruna Cenci Ortiz, Francisco Jorge Schulz Júnior


Mycoplasma haemofelis em gato – relato de caso

Micoplasma hemotrópico, anemia infecciosa felina, PCR, perfil hematológico

Mycoplasma haemofelis é uma bactéria pleomórfica que parasita as hemácias de várias espécies domésticas e de potencial zoonótico. O presente relato apresenta o caso de um felino, fêmea, não castrada, dois anos de idade, da raça persa com histórico de anorexia, leve desidratação, prostração, escore corporal entre 1 e 2, letargia, linfonodos mandibulares e poplíteos aumentados de tamanho, mucosas levemente hipocoradas, TR 40.3ºC, urina concentrada e esplenomegalia moderada. O resultado da avaliação hematológica, bioquímica e o exame de PCR apontaram para o caso de micoplasmose felina. A terapêutica instituída com doxiciclina e dexametasona resultou na cura clínica do paciente”.

Autores: Elissandra da Silveira, Mariana Caetano Pimentel, Sandra Márcia Tietz Marques

Pubvet

Somos, há dez anos, uma editora especializada em publicações na área da Medicina Veterinária e Zootecnia. Nossa missão é estabelecer a comunicação entre o campo e a academia :)