Pubvet
Editorial: Coronavírus e o agronegócio na pecuária Editorial: Coronavírus e o agronegócio na pecuária
O aparecimento do coronavírus na China e sua disseminação pelo mundo estão fazendo a sociedade repensar o modo de viver. Depois da crise, segundo... Editorial: Coronavírus e o agronegócio na pecuária

O aparecimento do coronavírus na China e sua disseminação pelo mundo estão fazendo a sociedade repensar o modo de viver. Depois da crise, segundo vários especialistas, o modelo comportamental das pessoas vai ser menos egoísta e mais igualitário. Todos esperaram por isso. Então, advém uma questão: como será o novo modelo do agronegócio?

Sistemas de produção e as demandas pela sociedade com medo do vírus! No entendimento dos especialistas, sistemas de produção não sofreram grandes impactos. Nos últimos anos, observamos uma mudança significativa nas commodities, sobretudo na sua produtividade, o que foi verificado no aumento em escala. Deste modo, os sistemas de produção devem seguir sua trajetória sem grandes alternâncias. E a demanda?

Os especialistas propagam uma ideia de que o comportamento dos consumidores será revisto. Neste sentido, eles observam que a população será menos egoísta e com desejo de menor desigualdade. Todos esperam isso. Neste contexto, haverá uma mudança em curto prazo nas demandas das populações. Estas mudanças comportamentais também serão sentidas no hábito alimentar. Uma demanda iniciada há pouco tempo poderá ser esperada: segurança alimentar. Desta forma, as empresas serão suscitadas a colocar à disposição dos consumidores nas suas publicidades, além de preço, a segurança alimentar dos seus produtos.

Tal mudança vai iniciar no sistema de produção “in farm”, no transporte e no abate dos animais ou dos produtos oriundos das diferentes atividades (carne, leite, mel, ovos, peixe, entre outros) e no manuseio ou na transformação destes produtos após processamento. Assim, a população poderá interferir ou exigir mais responsabilidade do sistema como um todo, além da segurança alimentar, o respeito ao meio ambiente e ao bem estar dos animais.

Este conjunto de preocupações fará com que os produtos de origem conhecida ou origem controlada (terroir) sejam mais valorizados e desejados. Para que isso seja perenizado, além dos consumidores, as empresas de transformação terão que investir no desenvolvendo de novas tecnologias de processamento, armazenamento, transporte, embalagem, publicidade e na invenção de novos produtos em toda a cadeia do sistema agropecuário.

As exigências da nova sociedade serão bem diferentes das exigências da atual geração. É possível que esta pandemia não seja tão marcante como foram as guerras, a revolução industrial, a internet, mas ela vai deixar sua marca no comportamento social. A nova geração vai precisar ser menos egoísta e menos desigual.

Editor-chefe

Pubvet

Somos, há dez anos, uma editora especializada em publicações na área da Medicina Veterinária e Zootecnia. Nossa missão é estabelecer a comunicação entre o campo e a academia :)