Pubvet
5 artigos mais acessados em maio 5 artigos mais acessados em maio
A Pubvet elaborou uma lista com os cinco artigos mais lidos no mês de maio! Aproveite para conhecer o que mais chama a atenção... 5 artigos mais acessados em maio

A Pubvet elaborou uma lista com os cinco artigos mais lidos no mês de maio! Aproveite para conhecer o que mais chama a atenção de nossos leitores.

Agradecemos a comunidade de pesquisadores e profissionais atuantes que fazem da nossa revista uma referência para as áreas de Medicina Veterinária e Zootecnia.


Hiperadrenocorticismo em cão: Relato de caso

Cão, hiperadrenocorticismo, glicocorticoides

“O hiperadrenocorticismo (HAC) ou Doença de Cushing é uma patologia endócrina diagnosticada comumente em cães adultos e idosos, caracterizada por alterações clínicas consequentes da exposição prolongada à glicocorticóides. Tal doença possui diversas etiologias que podem ser de origem espontânea ou iatrogênica. O HAC espontâneo pode ser associado com a secreção de hormônio adrenocorticotrófico (ACTH) inapropriado pela hipófise (hiperadrenocorticismo hipófise dependente), representando aproximadamente 80% dos casos, ou por um tumor adrenocortical (hiperadrenocorticismo adrenal dependente), representando cerca de 15 a 20% dos casos de hiperadrenocorticismo. Já o HAC iatrogênico é o resultado da administração excessiva de glicocorticóides. Objetivou-se relatar o caso clínico de uma cadela, sem raça definida, de aproximadamente 15 anos, atendida no Hospital Veterinário da Universidade Federal do Piauí, diagnosticada e tratada para hiperadrenocorticismo”.

Autores: Yago Gabriel da Silva Barbosa, Daniel Serafim de Andrade Rodrigues, Nair Chaves Barbosa da Silva, Francisco Lima Silva, Catarina Rafaela Alves da Silva, João Macedo Sousa


Carcinoma de células escamosas em cães e gatos: Revisão de literatura

carcinoma espinocelular, carcinoma escamocelular, carcinoma epidermóide, caninos , felinos

“A compreensão dos estudos na área da oncologia é de fundamental importância para a descoberta de sua etiologia, classificações e formas de tratamento, uma vez que o número de pacientes atendidos com alguma neoplasia cresce a cada década. A predisposição genética e a exposição a fatores físicos e químicos favorecem o desenvolvimento de neoplasias nos animais sendo que a pele e seus anexos são locais muito comuns de desenvolverem neoformações, principalmente em países de clima tropical, pela exposição crônica à radiação ultravioleta. O carcinoma de células escamosas é uma neoplasia de epitélio, maligno, de crescimento lento e não necessariamente metastático comum em felinos, bovinos, caninos, eqüinos, relativamente incomum em ovinos e raro em caprinos e suínos. Sua etiologia precisa ainda não é conhecida e a causa exógena mais comumente aceita é a exposição à luz ultravioleta, com conseqüente lesão do ácido desoxirribonucléico (DNA) e mutagenicidade associada. O prognóstico varia de acordo com a localização e o estágio clínico no momento do diagnóstico. É considerado favorável quando o diagnóstico é realizado precocemente e também quando a excisão cirúrgica completa é possível, porém, quando houver lesões que envolvam estruturas ósseas, o prognóstico passa a ser reservado. A presente revisão bibliográfica tem como objetivo principal reunir informações atuais sobre o carcinoma de células escamosas em caninos e felinos, do ponto de vista clínico e patológico, a fim de facilitar o raciocínio sobre esta neoplasia, desde sua abordagem inicial, até seu diagnóstico final”.

Autores: Mayara Caroline Rosolem; Ludmila Rodrigues Moroz; Sabrina Marin Rodigheri


Prolapso e ruptura de útero gravídico em cadela: relato de caso

prolapso parcial uterino, ovariosalpingohisterectomia, ruptura uterina

“O prolapso uterino é uma emergência de rara ocorrência em cães. Suas causas são desconhecidas, no entanto, idade, relaxamento da musculatura pélvica, lesões no canal do parto, distocia e atonia uterina podem ser fatores desencadeantes. Seu diagnóstico é baseado na anamnese, achados do exame físico, radiografia, ultrassonografia e vaginoscopia. O tratamento preconizado incluí desde a redução manual até amputação da massa prolapsada e a realização de uma ovariossalpingohisterectomia. O objetivo deste trabalho é relatar a ocorrência de prolapso parcial de útero gravídico em cadela. O animal apresentava histórico de parto laborioso e presença de massa avermelhada protrusa a partir do canal vaginal. Após tratamento de suporte para estabilização do paciente, realizou-se tentativa de redução manual, que mostrou-se infrutífera, sendo então indicada a laparotomia exploratória seguida de ovariosalpingohisterectomia, que resultou na correção do prolapso parcial e ruptura uterina existente, favorecendo o prognóstico com plena recuperação do animal”.

Autores: Tereza Cristina Martins da Silva Marinho, Camila Pinho Balthazar da Silveira, Ana Raquel de Araújo Ferreira, Walnilson Mota da Silva, Camila Paes Bürger, Leandro Ziemer Carneiro, Arianne Pontes Oriá, João Moreira da Costa Neto


Erliquiose canina: Relato de caso

canino, hemoparasitoses, infecção, rhipicephalus sanguineus

“A erliquiose é uma doença muito comum na clínica de pequenos animais, a mesma é causada pela bactéria gram-negativa Erliquia canis, transmitida pelo carrapato Rhipicephalus sanguineus, que provoca graves sinais clínicos podendo levar o animal á óbito. Durante atendimento no Hospital Veterinário Universitário da Universidade Federal do Piauí (UFPI), foi atendido um cão com 3 meses de idade, da raça dálmata, apresentando anorexia, apatia e fraqueza. Ao exame clínico, constatou-se que o animal apresentava-se desidratado, mucosas ocular e oral pálidas, petéquias em toda região ventral, ixodidiose e linfonodos submandibulares, pré-escapulares e poplíteos aumentados de tamanho. Para confirmação do diagnóstico, foi realizado hemograma, bioquímico e parasitológico para pesquisa de hematozoário (esfregaços) que resultou em alterações nas séries vermelha e branca, plaquetas gigantes, abaixo dos valores de referência, além da visualização de Erliquia canis parasitando hemácias. Como tratamento foi instituido doxiciclina, vitamina B1, cloridrato de levamisol, silimarina, sarolaner e vitamina C. O tratamento foi eficaz e o animal se recuperou”.

Autores: Ritamária de Sá, Isael de Sousa Sá, Laíze Falcão De Almeida, Gabrielle da Silva Miranda, Joaquim Bezerra Gomes, Alan Rodrigo Sousa Soares Santos, Karolynne de Freitas Martins e Silva, Morgana Santos Araújo, Antonio Francisco da Silva Lisboa Neto, José Carlos Ferreira Silva, Marcos Antônio Lemos Oliveira, Felicianna Clara Fonseca Machado, Antônio Augusto Nascimento Machado Júnior, Manoel Lopes da Silva Filho


Cinomose canina: aspectos relacionados ao diagnóstico, tratamento e vacinação

doenças de cães, doenças infecciosas, morbillivirus

“A cinomose é uma doença infecciosa altamente contagiosa com sinais e sintomas inespecíficos. Sua evolução depende de fatores imunes de cada indivíduo, podendo evoluir para o óbito. O diagnóstico geralmente é clínico devido aos sintomas apresentados e podem-se solicitar exames complementares, bem como hemograma, teste ELISA, RT-PCR e imunofluorescência indireta. O tratamento instituído é de suporte e variável de acordo com a clínica apresentada. A profilaxia e manejo devem ser orientados e inclui vacinação com protocolo determinado, ingestão de colostro, controle ambiental com higienização adequada e isolamento de animais infectados”.

Autores: Cintia Gonçalves Vasconcelos Freire, Maria Eugênia Moraes

Pubvet

Somos, há dez anos, uma editora especializada em publicações na área da Medicina Veterinária e Zootecnia. Nossa missão é estabelecer a comunicação entre o campo e a academia :)