Pubvet
5 artigos mais acessados em julho 5 artigos mais acessados em julho
A Pubvet elaborou uma lista com os cinco artigos mais lidos no mês de junho! Aproveite para conhecer o que mais chama a atenção... 5 artigos mais acessados em julho

A Pubvet elaborou uma lista com os cinco artigos mais lidos no mês de junho! Aproveite para conhecer o que mais chama a atenção de nossos leitores.

Agradecemos a comunidade de pesquisadores e profissionais atuantes que fazem da nossa revista uma referência para as áreas de Medicina Veterinária e Zootecnia.


Vantagens e desvantagens da utilização do sistema silvipastoril em ovinos: Ênfase na fisiologia animal

Equino, ficomicose, tratamento

“A necessidade de se encontrar alternativas mais eficientes frente à produção de carne bovina vem fazendo com que a criação de ovinos comece a adquirir maior importância no Brasil. A atividade vem experimentando grande crescimento na região Norte e crescimento maior ainda nas regiões Sudeste e Centro-Oeste”.

Autores: Roseane Pinto Martins de Oliveira  


Manejo nutricional para cães e gatos obesos

animal de estimação, doença, nutrição, tratamento

“A obesidade é uma das desordens nutricionais mais frequentes em cães e gatos. A doença é caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal de forma sistêmica, acarretando em prejuízos secundários para a saúde do animal. Entre as causas da obesidade estão fatores como raça, espécie, pré-disposição genética, nutrição, castração, utilização de alguns medicamentos, mas também se deve à mudança no hábito de vida dessas espécies que ao passar do tempo foram tornando-se cada vez mais sedentárias. Por se tratar de um distúrbio nutricional, a adoção de um manejo nutricional é essencial no tratamento da doença, pois o balanceamento adequado de nutrientes como proteínas, lipídeos, carboidratos, fibras e a umidade do alimento, funcionará de forma reguladora no organismo do animal. Associado à um manejo nutricional adequado, a instituição de um programa de atividades físicas para reduzir o sedentarismo dos animais é de suma importância para auxiliar a perda de peso de maneira saudável e sem riscos à saúde do animal. Deste modo, pode-se afirmar que fornecer uma alimentação saudável e equilibrada a estes animais é a principal forma de controle da obesidade, portanto, é importante conhecer o papel de cada nutriente no tratamento, bem como a viabilidade da utilização de alimentos prontos disponíveis no mercado.”.

Autores: Lucas Pereira de Souza Silva, Ronaldo César Hoog Nora Júnior, Cinthia Maria Carlos Pereira, Verônica Maria Pereira Bernardino


Avaliação dos tratamentos farmacológicos para dermatofitoses em animais de companhia

cão, dermatófitos, fungo, gato, tratamento

“As dermatofitoses são infecções na pele que podem ser transmitidas do infectado para os animais de companhia ou para os humanos. É causada por fungos queratinofílicos intitulados como dermatófitos. O objetivo deste trabalho é fazer uma avaliação dos tratamentos farmacológicos para dermatofitoses em animais de companhia dos pacientes atendidos na Clínica Veterinária Universitária da Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR Campus Toledo no período de 15 de março de 2017 a 08 de agosto de 2017 e compará-los à bibliografia. Os agentes encontrados mais frequentemente neste tipo de infecção são do gênero Microsporum sp., Trichophyton sp. e Epidermophyton sp. Causam lesões alopécicas, eritema, crostas e prurido, necessitando da identificação laboratorial para confirmação do diagnóstico e podendo ter seu tratamento longo ou até reinfecções, dependendo de combinações terapêuticas para a completa cura. Foi avaliado nove casos, sendo um caso da espécie felina e oito casos da espécie canina. A lesão mais observada nos casos de dermatofitose foi alopecia, foram observadas ainda, alergia, prurido e eritema. A espécie fúngica com maior frequência de isolamentos neste estudo foi Trichophyton sp. identificado em oito animais da espécie canina, já para a espécie felina encontrou-se Penicillium sp. um caso. Para os tratamentos utilizados, em sua maioria foram através de banhos com shampoos contendo medicamentos antimicrobianos e antissépticos em sua formulação, seguido do uso sistêmico do maleato de oclacitinib, fluconazol, itraconazol, respectivamente. Também foi observada a associação dos banhos com shampoo e medicamentos de uso sistêmico corroborando com a bibliografia consultada, uma vez que a associação das terapias tópica e sistêmica diminui o tempo de infecção do animal. O uso tópico através de pomadas foi observado em dois casos, um deles sendo no felino onde este substituiu o banho com o shampoo”.

Autores: Jonas Eduardo Ceconi, Tiago Rafael Sausen, Vanessa Yuri de Lima, Gabriel Schommer Ames, Paulo Tadeu Figueira


Anemia Infecciosa Eqüina – Revisão de literatura

Anemia Infecciosa, Eqüino, Vírus

“Os eqüídeos são ferramentas de trabalho essenciais à pecuária de corte, a qual é desenvolvida extensivamente no Brasil. A anemia infecciosa eqüina (AIE), conhecida mundialmente como febre-do-pântano, é considerada uma das principais doenças que acometem eqüídeos. É uma doença infecciosa, provocada por vírus, transmitida por meio do sangue de um animal infectado, picada de insetos hematófagos ou por agulhas, leite, placenta (transmissão congênita), sêmen (acasalamento) e pelo soro imune. A anemia não tem cura. Uma vez o animal infectado, torna-se portador permanente, podendo apresentar ou não os sinais da doença (forma aguda, crônica), constituindo-se numa fonte de infecção para outros eqüinos. O objetivo desse trabalho é apresentar noções básicas sobre anemia, seus sintomas, causas e conseqüências”.

Autores: Carolina Aparecida Maia; César Augusto Garcia; Daise Aparecida Rossi; Roberta Torres de Melo; Eliane Pereira Mendonça; Letícia Rispoli Coelho; Guilherme Paz Monteiro; Priscila Christen Nalevaiko


Alopecia X em cães: revisão

dermatologia, alopecia, alopecia X, ciclo piloso, cão

“A alopecia em cães é um achado frequente nas consultas dermatológicas veterinárias, podendo ser causada por várias doenças cutâneas e até sistêmicas. A alopecia X é uma dermatopatia, que ocorre com mais frequência em raças nórdicas, especialmente em cães da raça Spitz Alemão, sobre a qual, atualmente, não há muito conhecimento científico. Sua patogenia ainda não foi bem esclarecida e atualmente acredita-se que seja causada por um componente hereditário associado a alterações de sensibilidade a receptores hormonais dos folículos pilosos. O tratamento mais utilizado é a castração desses animais, associando a administração de algumas drogas em determinados casos e o diagnóstico é feito observando-se a resposta do paciente ao tratamento instituído. Por ser uma doença sobre a qual não há muita literatura publicada, esse artigo tem como objetivo reunir informações importantes sobre esta dermatopatia”.

Autores: Adriana Leão de Carvalho Lima Gondim, Adjanna Karla Leite Araujo

Pubvet

Somos, há dez anos, uma editora especializada em publicações na área da Medicina Veterinária e Zootecnia. Nossa missão é estabelecer a comunicação entre o campo e a academia :)